Educar para a tolerância

O legado de Martin Luther King Jr. pode ser transposto para múltiplas dimensões e vivido de forma diferenciada consoante a visão que tenhamos para o mundo e os meios que utilizemos para o mudar.

Direitos Fundamentais

Uma das formas mais poderosas de promover a transformação na sociedade é através da educação e aprender com os valores de Martin Luther King Jr. é fazê-lo através da transmissão da tolerância e da assunção dos direitos cívicos.

Celebramos os cinquenta anos do seu assassinato em Memphis, Tennessee. Nos últimos dias muito se tem falado a propósito do facto de o assassino ter estado dez dias em Portugal, após ter cometido o homicídio e de como as autoridades policiais do Estado Novo mantiveram durante esse tempo o registo da sua permanência em território nacional. Portugal vivia à época num regime ditatorial no qual os direitos humanos eram fortemente limitados e onde pessoas como Martin Luther King Jr. certamente seriam perseguidas pela PIDE.

No Portugal contemporâneo assistimos a uma rápida alteração do sistema educativo em que há uma orientação legal e institucional para se enquadrar a cidadania. Para isso, tem-se vindo a vivenciar novos modelos quer no domínio do ensino quer no âmbito da investigação.

Para podermos ter um novo paradigma na educação em Portugal temos de deixar os nossos alunos e os nossos professores experimentarem, pois, o nosso cérebro só aprende por intermédio da vivência, da experimentação. Para podermos ter uma educação para a cidadania temos de ser capazes de a trazer para dentro da sala de aula. Tal será possível se seguirmos o conselho de Martin Luther King Jr.: “The function of education is to teach one to think intensively and to think critically. Intelligence plus character – that is the goal of true education.”

Dotar os alunos das competências adequadas que lhe permitam criar o problema e encontrar a solução. Assumir o trabalho em equipa como uma das ferramentas essenciais com vista ao sucesso escolar. Tornar a sala de aula um espaço de partilha de vivências em que deve haver a oportunidade de se formularem perguntas variadas que conduzam a respostas diferenciadoras e com isso levar alunos e professores a respeitarem as opiniões contrárias.

Educar para a tolerância num momento em que tanto precisamos de diálogo e de concertação é uma das melhores formas de colocar a herança de Martin Luther King Jr. a ser vivida todos os dias na nossa escola!

Continue a ler

Artigo publicado no Jornal de Negócios – 05/04/2018